24 junho 2011

As Ferias de Julho estao chegando...Que Legal!!!







O aguardado mês de julho chega e com ele as férias escolares. Os pequenos comemoram o mês inteiro sem compromissos, mas para os pais que não têm folga do trabalho neste período fica a pergunta: o que fazer com a criançada?
Caso os adultos consigam um tempo para ficar em casa com os filhos, podem também contribuir para que as férias deles sejam mais bem aproveitadas. Atividades simples, como uma ida ao parque, um piquenique ou brincadeiras que não envolvam jogos eletrônicos despertam a curiosidade das crianças e estimulam a criatividade, além de estreitar os laços da família.

09 junho 2011

Festas juninas:

Texto: 2 Coríntios 6.14-18

Texto Para memorizar: “E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo de Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo.” 2 Co 6.16

Estamos numa época do ano em que acontecem, como em todos os anos, as ditas festas juninas, que apesar do nome acontecem também no mês de julho. Festas estas consideradas como folclóricas, mas que tem as suas raízes na idolatria. Vejamos: o Apóstolo João e o Apóstolo Pedro foram homens que serviram fielmente ao Senhor, mas eram homens comuns como nós que nasceram, cresceram, trabalharam, envelheceram e morreram (João de morte natural e Pedro foi crucificado de cabeça para baixo), mas nenhum deles ressuscitou como Jesus. Se não ressuscitaram estão mortos aguardando a volta do Senhor que virá buscar a Sua Igreja. Veja 1 Tessalonicenses 4: 16-17 que diz: "Pois o mesmo Senhor descerá do Céu com grande brado, à voz do arcanjo, ao som da trombeta de Deus, e os que morreram em Cristo ressurgirão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor”.

Ora, se festejarmos ou participarmos destes eventos, até mesmo simplesmente com a nossa presença, estamos sendo participantes de festa de ídolos, o que é contrário à Palavra de Deus que diz em Êxodo 20: 4-5 "Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás a elas nem as servirás, pois Eu, sou o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a maldade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam". Isto é maldição. Em Atos 15: 20 Lucas diz que devemos nos abster das contaminações dos ídolos. Em 1 Coríntios 8: 1-13, o Apóstolo Paulo fala que "quanto ao comer das coisas sacrificadas aos ídolos, sabemos que o ídolo nada é no mundo, e que não há outro Deus, senão um só", no versículo 7 deste capítulo o Apóstolo diz que a nossa consciência poderá ficar contaminada.

Também baseado na Palavra de Deus, tenho a considerar que qualquer festividade ou homenagem de caráter religioso a alguém que não seja o Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo é idolatria. E quando louvamos, buscamos, veneramos, idolatramos ou consultamos a alguém morto, estamos praticando a necromancia (culto aos mortos) o que é abominação ao Senhor, baseado no capítulo 18 de Deuteronômio.

No Salmo 119: 11 o salmista diz: "Escondi a Tua Palavra do meu coração, para não pecar contra Ti". E baseado nesta Palavra orientamos aos nossos discípulos que se abstenham de participar, organizar, freqüentar estas festas, pois será laço para sua vida espiritual.

Oriente também aos seus filhos e discípulos a não participarem de danças, quadrilhas e não comerem as comidas, não vender rifas. Ao participar estarão firmando uma aliança com os chamados padroeiros.



“Filhinhos guardai-vos dos ídolos. Amém.” 1 João 5.21



08 junho 2011

PARA REFLETIR

Festa junina – inofensiva ou não?
Todo mês de maio e junho é a mesma coisa, a maioria das escolas põe lenha na fogueira para as crianças entrarem no clima da festa junina. Me dei conta de que precisamos falar mais sobre os significados desta festa ao saber que algumas crianças da igreja estavam planejando participar delas, elas conversavam na sala da EBD:
_ Eu vou dançar quadrilha na festa junina da minha escola. No que a outra respondeu:
_ Eu também, e vou comer muito...
Apesar de serem frequentes na igreja juntamente com suas famílias, essas crianças não têm idéia de onde estão entrando, precisam ser apascentadas por pais e professores que as amem. Erramos por não sabermos a origem e significados das coisas. “Assim, eu lhes digo, e no Senhor insisto, que não vivam mais como os gentios, que vivem na inutilidade dos seus pensamentos. Eles estão obscurecidos no entendimento e separados da vida de Deus por causa da ignorância em que estão, devido ao endurecimento do seu coração. Tendo perdido toda sensibilidade, eles se entregaram à depravação, cometendo com avidez toda espécie de impureza.” Efésios 4:17-19.
Nossa falta de instrução e de saber tem afetado nossos pequeninos, e a nós também, é claro. Percebi que muitos pais cristãos não sabem os significados de tal comemoração, senão suas crianças não estariam evolvidas com esta festa de origem pagã, ou seja, idólatra. Fiz uma pesquisa na Net e dentre tantos sites, escolhi um de educação, (http://clickeducacao.com.br/), que não é religioso, e ensina o sentido desta festa, de onde extrai as informações abaixo.

Acompanhe comigo e veja você mesmo QUAL O SENTIDO DA FESTA JUNINA.
A festança dos santos de junho
Antônio, João e Pedro são, até hoje, os santos mais populares do Brasil. Mas o que poucos sabem é que toda essa alegria remonta à Antigüidade, quando por toda a Europa festejos pagãos comemoravam no mês de junho o início do preparo da terra para o plantio. Hoje, a festança começa no dia 12, véspera de Santo Antônio, e termina no dia 29, dia de São Pedro. Mas o auge mesmo é a noite de 23 para 24, dia de São João Batista, o santo fogueteiro.
O começo de tudo
Na Antigüidade, quando a ciência ainda não havia explicado o funcionamento do universo, as alterações no clima eram atribuídas à magia e aos deuses. Dias quentes e ensolarados, depois dos meses frios do inverno e dos dias amenos da primavera, eram considerados uma bênção divina. Assim, os povos daquela época criaram rituais para garantir a boa vontade e a bondade das divindades responsáveis por esses fenômenos.
Você Sabia que antes de o cristianismo dominar a Europa, as festas juninas comemoravam a deusa Juno, mulher de Júpiter, que fazia parte do panteão do Império Romano. Para diferenciar as festas de Juno da festa de João, a Igreja Católica passou a chamá-las "joaninas". Com o tempo, as festas joaninas, realizadas em junho, acabaram sendo mais conhecidas como "juninas".
Sincretismo religioso. Quando o cristianismo tornou-se a religião oficial do Ocidente, no século IV, as principais celebrações pagãs foram sendo incorporadas ao calendário das festas católicas. Foi assim com o Dia de Todos os Santos e também com as festas juninas. Já no século VI, a Igreja Católica reservou o dia 24 de junho para comemorar o nascimento de São João Batista, que, segundo a Bíblia, batizou Jesus Cristo. Aos poucos os cristãos foram criando novos mitos para explicar as práticas anteriores (pagãs). Estavam fazendo o que hoje chamamos sincretismo religioso. Por exemplo: para justificar o uso do fogo na festa cristã, conta-se que Santa Isabel teria acendido uma fogueira para avisar Maria – sua prima – do nascimento de seu filho João Batista. As comemorações foram ampliadas no século XIII, incluindo o dia da morte de Santo Antônio de Pádua, 13 de junho, e o da morte de São Pedro, 29 de junho.
Cada um dos santos
Somente a partir do século VI os santos católicos Antônio, João e Pedro foram associados às alegres festas de junho. Foi uma forma de a Igreja Católica não só homenagear seus santos mais populares, mas também ofuscar a antiga tradição pagã que predominava nas festas juninas.
Tudo o que uma festa junina deve ter
Fogueiras
Além de ser um elemento de reunião das comunidades e famílias, a fogueira tem outros significados milenares: proteção contra maus espíritos, purificação, agradecimento e homenagem a deuses.
Fogos de artifício
Segundo a tradição popular, o barulho dos fogos de artifício espanta maus espíritos e acorda São João para a festa.
Balões
Simbolizam a oferenda aos céus para a realização de pedidos ou agradecimento de desejos satisfeitos.
Lavagem do santo
A tradicional lavagem de São João, no dia 24 de junho, é um batismo simbólico. Segundo a crença popular, no momento da lavagem a água do rio passa a ter poderes de cura. É por isso que os participantes molham os pés, o rosto e outras partes do corpo e guardam um pouco de sua água.
Levantamento do mastro
O mastro de São João é fincado no solo e a seu redor são lançados pedaços de unha, fios de cabelo e sementes, simbolizando o desejo de fertilidade. Apesar de ser "de São João", os três santos homenageados estão representados em sua ponta.
Casamento caipira
Uma das mais divertidas tradições das festas juninas é, sem dúvida, o casamento caipira – também chamado de "casório matuto". A representação, em tom de brincadeira, é cheia de malícia e conotações sexuais. A história sofre pequenas variações, mas o enredo é sempre o mesmo: a noiva fica grávida antes do casamento e os pais obrigam o noivo a se casar com ela. Desesperado, o noivo tenta fugir, mas é impedido pelo delegado e seus soldados, que arrastam o "condenado" ao altar e vigiam a cerimônia. Depois que o casamento é realizado, inicia-se a quadrilha.”
Fonte: http://clickeducacao.com.br/


Vamos parar por aqui com essa pesquisa para pensarmos um pouco: a festa junina é inofensiva ou não? O que Jesus faria em meu lugar? Como posso pensar e agir de acordo com os valores e princípios bíblicos e ensiná-los a esta geração?
A Bíblia diz claramente o quanto irrita ao nosso Deus a adoração a outros deuses. A quadrilha se parece com a festa relatada em Êxodo 32 – “Arão edificou um altar diante do bezerro de ouro e anunciou: Amanhã haverá uma festa dedicada ao Senhor (...) Na manhã seguinte, ofereceram holocaustos e sacrifícios de comunhão. O povo se assentou para comer e beber, e levantou-se para se entregar à farra (...) Disse o Senhor a Moises: Tenho visto que este povo é um povo obstinado. Deixe-me agora para que a minha ira se acenda contra eles, e ou os destrua. Depois farei de você uma grande nação.”
De que lado você, suas crianças e jovens estão: do povo cabeçudo ou do lado da grande nação? Você está em comunhão com Deus ou com os demônios? (1 Co 1014-24). “Vocês não podem participar da mesa do Senhor e da mesa dos demônios.” I Co 10:21. São estes princípios e outros mais, que temos a oportunidade de ensinar aos nossos filhotes nesta época de festas junina, pois “Tudo é permitido, mas nem tudo convém. Tudo é permitido, mas nem tudo edifica”. 1Co 10.23. Se você ainda acha que festas juninas são inofensivas, sem perigos, se tiver paz para comemorá-la e deixar suas crianças se envolverem, vá em frente, mas sabendo que todos os espíritos cultuados nesta festa estarão com vocês.


Por: Alexandra Guerra Castanheira é autora do livro “Infância: O Melhor Tempo Para Semear” da Editora Betânia. Pedagoga, palestrante, trabalha na gestão do Colégio Cristão VER e é capacitadora da AECEP.
E-mail: alexaguerra76@hotmail.com Blog: alexaguerra.blogspot.com

Seguidores

DEVOCIONAL DIARIO:

Hora:

Loading...