Estudos de Células (Verdadeiros Adoradores)



  
- RELACIONAMENTO COM DEUS


Estudo nº 01


1 – O que é relacionamento?
É correspondência, trato amistoso, ou convivência, relações íntimas com alguém.
Relacionamento com Deus quer dizer convivência com Ele.
É trato diário com o Senhor, tornando-se familiar essa relação de amizade (Salmo 25:14 e Nm. 12:5-8).



2 – É importante o nosso relacionamento com Deus?
Mateus 5:14 – “...Vós sois a luz do mundo”.
Romanos 13:12 – “...E revistamo-nos das armas da luz”.
Romanos 13:14 – “...Revesti-vos do Senhor Jesus”.


O cristão, no sentido individual e coletivo, é a luz do mundo. Se suas atitudes e relacionamentos não são de conformidade com a natureza de Cristo, a luz se retira, e o cristão se torna parte do problema e não da resposta para o mundo.
Cristo é a luz para nós. Sua presença habitacional em nós é a resposta para o problema básico de uma vida ou de um povo.
Daí a vital importância do nosso relacionamento com Deus, da nossa intimidade com Ele.



3 – Qual o segredo principal do relacionamento com Deus?
O segredo principal do relacionamento com o Senhor é a conversão a Deus. (Jeremias 3:22; 2 Crônicas 30:9; Neemias 1:9).
Converter é voltar ao Calvário, sempre que se fizer necessário, para que haja assim comunhão com Deus.
Nascidos de novo através da Conversão a Cristo, passamos a experimentar um relacionamento novo, de vitória com Deus – Cristocêntrico.
Relacionamento que começa, existe, permanece e termina na Cruz com a visão do Trono, para um relacionamento perfeito e eterno, na glória. Esse relacionamento nos leva para a deslumbrante glória na presença de Deus, onde nossa ânsia é satisfeita, aqui e para sempre.



Relacionamento através da Palavra

1 – A Bíblia

“Habite , ricamente em vós a Palavra de Cristo”. (Colossenses 3:16).
Como vimos, não é exagero ler demais a Palavra de Deus, mas sim uma necessidade.
Ler a Bíblia, absorver a Bíblia, ingerir a Palavra é uma ordem de Deus para nós.
Sem a Palavra não há relacionamento com Deus. Nela encontramos o próprio Deus, encontramos o nosso começo com Cristo, salvação. Com ela alimentamos o nosso relacionamento com Deus que deve ser forte e constante. Com ela haverá quebrantamento, regozijo e emoções sensibilizadas pelo Espírito Santo.
A Palavra é instrumento de restauração, de libertação, de cura para nossa alma doente. É à base de tudo.
Ela fortalece o espírito, conforta a nossa alma, fortalece a personalidade por dentro até Cristo fluir.
A Palavra não pode ser apartada do tratamento interior que o Espírito Santo faz e quer fazer em cada crente e que dura à vida inteira. Ela é remédio para nossa alma marcada pelo pecado. Ela gera paz, poder, prosperidade, alegria saúde, força, vitória (Josué 1:6-8, Prov. 4:20-23).
A ordem de Deus para Josué foi ser forte, corajoso para herdar a terra, mas apresentou o meio para essa conquista – fazer e não desviar da Palavra para que fosse bem sucedido.
E continuou: Falar constantemente, Meditar e Fazer o que a Lei ordenava para fazer Prosperar o Seu Caminho.
A nossa alma tem sede da Palavra, e ela deverá ocupar lugar central na vida da cada crente se quiser vitória.
O grande problema de muitos crentes é desprezar a Palavra, se empobrecendo espiritualmente e até sendo ponto de interrogação quanto a sua vida cristã.
Também o desvalor pela Palavra abre um espaço enorme para Satanás atacar, agir em nossa vida. Qual é a sua brecha? Tem fraquejado?
Ler a Palavra devagar, meditando, examinando (João 5:39), extraindo o seu ensino, anotando, descobrindo verdades ocultas para você. Isso significa alimentar-se da Palavra de Deus, relacionar-se com Ele.



2 – Como a Palavra deve estar em nossa vida?
A – Causando Prazer – Salmo 1:1-9 – Prazer por ela surge quando meditamos nela dia e noite, como fazia o salmista.
B – Entranhada em nós – Para que tenhamos relacionamento com Deus é preciso que sua Palavra esteja entranhada em nós e nós nela, de tal maneira que nos tornemos uma só realidade. Provérbios 4:3-6; João 15:7.
C – Como Regra de Fé Prática – A Palavra é bússola que conduz o filho de Deus até encontrar com o comandante face a face, mas precisa ser prática. Só conhecê-la e não colocá-la a valer na sua vida, de nada e nenhum valor ela tem.
D - Conhecendo o Senhor – Só conheço o Pai que tenho se meditar na Sua Palavra. Sendo bom conhecedor das Verdades Eternas.

3 – Recapitulando: O que fazer para relacionar com Deus pela Palavra?

A – Ler a Palavra - conhecer a sua verdade, conhecer a nossa regra de fé, de vida em combate por uma causa vitoriosa, eterna, obtendo informações que só ela tem para dar.
B – Meditar na Palavra – É penetrar nela, interiorizar, obtendo significado de cada parte ali contida para o meu viver, equivale alimentar-se dela.
C – Praticar a Palavra – Mateus 7:24 – Ter a Palavra de Deus, valendo para nossa vida diante de cada problema, cada sonho, cada pedido, cada alegria, cada plano.
O caminho da benção é o caminho da obediência, da prática da Palavra de Deus.
D – Memorizar a Palavra – É muito importante para tempos difíceis. Momentos em que não temos nas mãos o alimento precioso para sustentar, renovar preservar a fé.





As consequências do pecado


Texto: Salmos 51; 2 Samuel 12.


Estudo nº 02


Introdução: O que o pecado faz com a vida de uma pessoa está descrito abaixo:

1 – Mancha o homem – Salmos 51:1-5

2 – Deixa-o infeliz – Salmos 51:8

3 – Afasta-o da presença de Deus – Salmos 51:11

4 – Entristece o Espírito Santo – Salmos 51:11

5 – Tira a paz e a alegria – Salmos 51:12

6 – Escandaliza o nome do Senhor – 2 Samuel 12:14

7 – Afeta o testemunho perante o mundo – Salmos 51:11-13

8 – Cerra a boca para o testemunho – Salmos 51:14-15

9 – Leva ao juízo – 2 Samuel 12:15-23

10 – É perdoado quando confessado honestamente – 2 Samuel 12:13

11 – Deus receberá o louvor – Salmos 51:14-18




Conclusão: O gafanhoto e lagarta talvez tenham consumindo muito dos nossos dias, e o seu coração está triste, mas Graças a Deus sempre há remédio: arrependimento, confissão, renúncia, e então uma completa restauração a favor e fartura.



Quatro coisas que impedem nosso relacionamento com Deus

Texto base: Gênesis 3.8


Estudo nº 03


Fomos feitos por Deus para nos relacionarmos. A ciência já comprovou que o homem tem uma necessidade ímpar em relação aos animais: A necessidade de se relacionar, senão ele morre.
O relacionamento perfeito é aquele baseado no amor. Jesus resumiu toda a lei e em dois mandamentos: “amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração e todo o que o entendimento… amarás o próximo como a ti mesmo”. Mt.22.37,39.
O amor é a base do relacionamento sadio.
A santa ceia é o lugar da maior manifestação desse relacionamento (Deus conosco em Jesus) e nós com nossos irmãos.
Estamos aqui para aprender a nos relacionar.
1- O GRÃO QUE NÃO MORRE (João 12. 24-26)
- O grão que não morre continua só. Não existe relacionamento de “um só”. Para um relacionamento saudável é necessário duas pessoas (ex: filme náufrago).
- Se morrer… haverá muito fruto – ou seja, muito o relacionamento.
- Se não estamos conseguindo nos relacionar é porque ainda não morremos. E aqui estamos falando de relacionamento com Jesus e com os irmãos.
- O que tem que morrer em mim?
a) o amor por esta vida terrena: o sistema, a cultura desse mundo, nosso egoísmo, nossa independência de Deus.
b) enquanto vivemos para este mundo, não passamos de um “grão de trigo”, mas se morrermos para este mundo, ou seja,” odiamos nossa vida neste mundo”, conservamos nossa vida eterna.
O versículo que fala do nosso relacionamento com Jesus (vs26)
“quem me serve, precisa seguir-me, e, onde estou o meu servo também estará. Aquele que me serve, meu pai o honrará.”
É preciso seguir a Jesus para poder se relacionar com Ele, e só consegue seguir a Jesus quem deixou de seguir este mundo. Seguimos Jesus ou seguimos este mundo. Só seguimos aquilo que amamos. Nós nos relacionamos com a aquilo que amamos.
Tem que morrer, tem que amar, tem que seguir, tem que se relacionar.
2- O CORAÇÃO QUE NÃO SE DESPRENDE.
Lucas 18.18-23.
- O jovem rico era um exímio religioso, mas tinha um sério problema: apego às suas riquezas.
“onde está seu tesouro estará seu coração”
Mateus 6.21
-Jesus o convidou para duas coisas mais importantes que todas as riquezas que possuía. Dois níveis diferentes de relacionamento nunca experimentados por aquele jovem.
1) Relacionamento com os pobres e necessitados. Relacionamentos sinceros de pessoas que o veriam com um anjo de Deus e em suas vidas. Relacionamento de respeito e honra
2) Relacionamento com Jesus, o mestre, o dono da maior riqueza, a salvação e a vida eterna.
- Quais serão os tipos de relacionamentos que ele tinha?
3- O CORAÇÃO QUE NÃO SE SUBMETE
Mateus 10.24.
a) Julgar-me maior que meu irmão me impede de submeter-me a ele, e por consequência nunca haverá relacionamento. Somos servos uns dos outros e precisamos aprender humildemente uns com os outros.
b) Os relacionamentos na igreja como instituição humana. (1 Pe 2.13-25).
- O texto fala sobre sujeição às autoridades. Devemos nos sujeitar às autoridades humanas, tratar com respeito, amar, tendo em vista o que? Bons relacionamentos!
- Mesmo que isto te prejudique, pelo bem que você está buscando (vs 22,23). Jesus queria se relacionar com pessoas e morreu por isso; Ele se o sujeitou às autoridades. Ele mais do que ninguém, poderia ter mudado esse cenário e feito diferente, mas decidiu sujeitar-se.
4- O CONCERTO NUNCA FEITO.
Mateus 5.23,24.
a) Somos oferta/ sacrifício vivo – Deus também não nos aceitará. (Gn. 4.4)
b) a questão não é: “eu não estou com mágoa/ raiva/ ódio/ de ninguém”. A questão é: “algum irmão tem algo contra mim?”
- Meu Deus, será que alguém tenha algo contra mim?
- Fiz ou disse algo que o ofendeu?
- Preciso encontrá-lo e pedir perdão! Por quê?
“eu não serei aceito, nem minha oferta”
Marcos 11.25, ensina que, se alguém me magoou, prejudicou, devo perdoar, isso é bíblico! Mas se um irmão foi prejudicado por mim, o que devo fazer? Devo procurá-lo e me reconciliar com ele, e se possível “compensar meus atos”.
PRINCÍPIOS
a) o nosso relacionamento com Deus é tão impreenscindível quanto o que mantemos com outros membros do corpo de Cristo. Se por um desentendimento criamos uma brecha em nosso convívio com o um membro da família de Deus, não poderemos nos aproximar do Senhor com nossa oferta, pois ela não será aceita.
Deus não está interessado em que cumpramos um Ritual Religioso de contribuição. Ele não busca sacrifícios, mas deseja que nossas ofertas sejam baseadas em nosso “relacionamento” com ele. Marcos 12.33. “e que amá-lo de todo o coração, de todo o entendimento e de todas as forças, e amar o próximo como a si mesmo, é mais do que todos os holocaustos e sacrifícios.”
- Ira, dissensão, ciúmes, falta de perdão, e relacionamentos rompidos com membros do corpo de Cristo interrompem nossa comunhão com Deus.
- Devemos nos humilhar e pedir perdão, compensando nossas atitudes se possível.
- Só assim nossa comunhão será restaurada com nosso irmão e com Deus e poderemos participar da ceia do Senhor numa verdadeira comunhão com Deus e com nossos irmãos.
Esta dinâmica é bem simples.
Com base no capítulo 1 do livro de Salmos faça um questionário e distribua aos presentes. Dê aos jovens canetas ou lápis, leia pergunta por pergunta e na medida em que for perguntando dê um tempo para escreverem a resposta que deverão ser marcadas com os sinais de positivo (+) para respostas sim e negativo (-) para as respostas não

OBEDIENCIA AOS PAIS

Que difícil obedecer aos pais, principalmente na família moderna!

         Quantas crianças já pensam que podem fazer o que bem entendem, que estão preparados, que podem resolver sua vida, pois, afinal, ela é sua mesmo.
Porém, a instituição que Deus estabeleceu, ainda no jardim do Éden, que ajuntou duas pessoas diferentes para ser uma só carne é o que chamamos de FAMILIA.
No governo de Deus sobre a família, cada componente tem as suas responsabilidades.
- Ao homem é atribuído amar a sua esposa, como Cristo amou a Igreja. Cabe a ele, portanto protegê-la. O marido e pai é o principal provedor de sua família, é o sacerdote em seu lar.
- A esposa, por sua vez é a sua parceira que está do seu lado sob a sua autoridade. Uma autoridade que é delegada por Deus.
- A seguir vêm os filhos e estes devem reconhecer a autoridade de seus pais sobre suas vidas e obedecê-los.
Eu sei que estar debaixo de autoridade é tremendamente complicado, porém no caso da família, se o filho não souber receber ordens de seus progenitores, dificilmente saberá exercer situações de comando no futuro, em relação aos seus próprios filhos.
É incrível como o desrespeito pelos pais, atingem consequências tremendas. É só abrir as páginas dos jornais, ou ficarmos alguns minutos diante de um noticiário da TV, para sentirmos de perto a gravidade do problema. São inúmeros casos de violência no seio da família, principalmente filhos brigando ou até tirando a vida de seus pais. São meninos e meninas, adolescentes, jovens que se enveredam para o mundo das drogas e que fazem de seus pais, seus principais inimigos.
O que devemos observar, é que independentemente do tipo de criação, os pais devem ser respeitados e honrados pelos seus filhos. A Bíblia nos diz que devemos honrar os nossos pais, porque é um mandamento. É uma ordem direta e clara, da parte de Deus aos filhos. A não observância da Palavra implica em consequências tristes para o filho desobediente.
Que consequências são estas?
Quando os filhos são desobedientes a seus pais, eles ficam totalmente desprotegidos, quanto às promessas de Deus, no que diz respeito a sua integridade física, moral, emocional e espiritual. Porque os filhos que desobedecem a seus pais, os seus dias são abreviados na terra. Em outras palavras. Os filhos que desobedecem aos seus pais vivem pouco e podem morrer cedo. São inúmeros casos registrados em delegacias de polícia no Brasil e no mundo de tragédias na família decorridos da desobediência por parte dos filhos.
Você é filho(a)? 
Se é filho(a) eu gostaria de lhe passar algumas dicas, de como melhorar o relacionamento com os seus pais. 

1ª dica - Nunca, em hipótese nenhuma, levante a voz, desrespeite ou desonre os seus pais.

          Tenha sempre uma atitude de humildade, de respeito, de tolerância, principalmente se eles ainda não entregaram as suas vidas ao Senhor Jesus Cristo. O seu testemunho cristão, deve ficar sempre em evidência na família.

2ª dica - O diálogo é o melhor caminho
Para isto, procure conversar mais com seus pais. Tome a iniciativa, não espere partir deles a comunicação. Você verá que o entendimento será mais agradável e a harmonia e paz reinará em seu lar.
3ª dica - Você é especial para os seus pais.
Lembre-se: por mais difícil que possa ser o relacionamento entre vocês, eles querem que o melhor aconteça em sua vida, porque eles o(a) ama e algumas vezes não sabe muito bem expressar este amor. Tente ver os desafios do relacionamento, na ótica de seus pais, pois aí você sentirá um pouco que a vida não é feita só de alegrias e bons momentos, mas também de tristezas e traumas que precisam ser tratados a luz da presença de Deus.
4ª dica - Peça perdão sempre que errar contra eles.
Você nunca deverá conciliar o seu sono a noite, deixando o seu pai ou a sua mãe magoados. O perdão ainda é o melhor remédio para curar e cicatrizar as feridas
5ª dica - Diga pra Deus, que de hoje em diante você vai procurar ser um filho obediente e temente ao Senhor.
A obediência aos seus pais com certeza formará em você um caráter especial e Deus estará sempre contigo em sua caminhada
Agora, uma palavra especial pra você filho(a), que espera ver mudanças na atitude, no comportamento, de seus pais para com você.
Preste atenção:
Você pode ter argumentar algumas razões para desobedecer os seus pais. Quem sabe você foi até maltratado(a). Deus o(a) ama e entende a sua dor, os seus sofrimentos, os seus traumas emocionais e quer libertá-lo(a) totalmente; porém um detalhe você não pode e nem deve se esquecer:
Segundo a Bíblia, que é a Palavra de Deus, a vingança não pertence a você, pertence somente a Deus. Deixe que a justiça de Deus trate desta situação, mas eu não gostaria de ficar na pele de um pai ou mãe que maltrata um filho(a) quando for julgado por Deus.
O que você tem a fazer é encher o seu coração de esperança, e fé e olhar para o futuro. Tirar toda a mágoa, o rancor do coração. Você não poderá fazer isto sozinho(a). Sozinho você não conseguirá se libertar. Jesus Cristo precisa estar dentro de você, curando todas as suas feridas, traumas, sequelas, mas para isto você deve permitir a participação Dele (Jesus) em sua vida.
Como está o seu relacionamento com os seus pais?
Como é que você gostaria que eles te tratassem?
A Bíblia faz uma declaração interessante: Se for possível, quando depender de vós, tende paz com todos os homens. (Rm. 12:18)
Você está disposto a levantar a bandeira da paz?
Você está disposto a caminhar na direção de seus pais, abraçá-los e pedir perdão e mudar para melhor a sua vida?
O quinto mandamento diz: Honra o teu pai e a tua mãe, como o Senhor te ordenou, para que se prolonguem os teus dias e para que te vá bem na terra que o Senhor teu Deus te dá. (Dt.5:16)
O Senhor quer que você viva nesta terra feliz e abençoado, honrando, respeitando e acatando as orientações daqueles que Deus colocou em sua vida para ajudá-lo(a), seus pais.

Filhos - Herança do SENHOR
Os Filhos - Uma Bênção
De acordo com a Bíblia, filhos são uma benção que vem do Senhor, “o fruto do ventre o seu galardão.” (Sal 127:3). Não são só os filhos que são uma benção, mas também os filhos dos filhos são “a coroa dos velhos” (Prov. 17:6). Tanto mais os filhos quanto mais as bênçãos parecem ser o que a Bíblia relata sobre os filhos (Sal 127:3-5). O fato de não ter filhos era uma vergonha (Gên. 30:22,23) e opróbrio (Lucas 1:25). Quando Deus queria abençoar um casal Ele dava filhos (Abraão e Sara - Gên. 17:20; Ana - I Sam 1:3-27; Elizabete - Luc 1).
Os Filhos - Obediência é uma virtude.
Examine a Bíblia toda e irá concluir que “obediência aos pais não é só uma virtude; é a única virtude da criança.
A obediência inclui tudo que é bom que pode ser exigido ou esperado dele.
Obediência é uma virtude porque é um mandamento para as crianças guardarem (Êx 20:12; Efés. 6:1-3; Col 3:20). Há o princípio de I Tim 5:4, “recompensar seus pais” mas isso não é nada menos que o cumprimento de Êx 20:12, “Honra a teu pai e a tua mãe.” Jesus recebeu os meninos e disse, “dos tais é o reino de Deus.” (Mar 10:14).
Os filhos tem a responsabilidade de obedecer os pais. O filho que sai desta posição de bênção, quer dizer o rebelde ou a criança de natureza obstinada, traz para si uma multiplicidade de problemas à sua vida e às vidas ao redor dele.
Obediência - O Caminho Abençoado!
Obediência traz consigo muitas outras bênçãos, pois submissão aos pais é submissão a Deus que mandou aos filhos obedecerem aos pais.
Quando uma criança aprende submissão (e tem que ser aprendida, o mais cedo possível - Prov. 22:15) ela aprende submeter-se a uma vontade mais alta que a sua. O filho que sabe submeter-se aos pais sabe obedecer aos mandamentos de Deus.
Os Filhos e os Velhos
O mandamento de Êxodo 20:12, “Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR teu Deus te dá.” , e repetidos em Deuteronômio 5:16 e Efésios 6:2 não são só para a criança enquanto esteja no lar mas estão em efeito enquanto ela tenha pais.
Os Filhos e a geração futura
Os filhos que guardam as instruções dos pais para as obedecerem levam uma prática e exemplo para as suas famílias futuras que influenciarão a sociedade que ainda virá.
Filhos e os Pais
Não sejam enganados, filhos, vocês precisam de pais, e pais que usam a autoridade para marcar os limites. Que filhos precisam de pais é evidente pelos versículos seguintes:
Provérbios 22:6, “Educa a criança no caminho em que deve andar; ...”
Provérbios 22:15, “A estultícia está ligada ao coração da criança, mas a vara da correção a afugentará dela.”
Provérbios 29:15, “... a criança entregue a si mesma, envergonha a sua mãe.”
I Cor 13:11, “Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.”
Efés 4:14, “para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina”




ESTUDO DE CÉLULA  

Filhos que Dão Prazer ao Senhor
Um grande navio está partindo do porto. Adiante deste navio vai um navio pequenino abrindo caminho. Tendo navegado nesse porto muitas vezes, o capitão do navio menor conhece cada perigo do porto e assim é capaz de ajudar o capitão do navio maior a evitar sério contratempo. De modo muito semelhante, os pais estão preparando os filhos para levarem vidas independentes num mundo perigoso. A Bíblia observa que "o ornato dos jovens é a sua força, e a beleza dos velhos, as suas cãs (Provérbios 20:29). Cabelos grisalhos, por serem de costume associados com idade avançada, representam freqüentemente sabedoria e experiência. Os pais já aprenderam sobre alguns dos perigos da vida e experimentaram outros, e estão assim capacitados a ajudar seus filhos a evitar muitos erros sérios . . . se os filhos aceitarem ser guiados por seus pais!
Filhos, obedecei a vossos pais!
O apóstolo Paulo afirmou que os filhos têm responsabilidade em obedecer a seus pais. Ele escreveu aos efésios, "Filhos, obedecei a vossos pais no Senhor, pois isto é justo" (Efésios 6:1). É interessante que Paulo não escreveu, "Pais, façam com que vossos filhos vos obedeçam." Naturalmente os pais são responsáveis por ensinar e corrigir seus filhos, mas Paulo dirigiu-se aos filhos e colocou sobre eles a responsabilidade por obedecer a seus pais. É certamente verdade que esses pais têm que instruir seu filhos a seguir a trilha da justiça, mas os filhos não são robôs. Eles também têm uma vontade e podem resolver não aceitar a disciplina de seus pais. Assim, o apóstolo Paulo mandou que os filhos se submetam à vontade de seus pais.
Os filhos têm que obedecer a ambos os pais. Freqüentemente os filhos obedecem ao pai que é mais provável que os castiguem e desatendem as instruções do outro! A palavra que é traduzida "pais" em Efésios 6:1 é uma palavra geral que inclui ambos, mãe e pai. Os primeiros nove capítulos do livro de Provérbios foram escritos como se um pai estivesse escrevendo ao seu filho. O autor começa seu conselho a seu filho com o seguinte: "Filho meu, ouve o ensino do teu pai e não deixes a instrução de tua mãe. “Porque será diadema de graça para a tua cabeça e colares, para o teu pescoço” (Provérbios 1:8-9). Observe que o filho precisa seguir a instrução de ambos, pai e mãe.
Aos colossenses, Paulo escreveu a respeito do alcance desta obediência dos filhos: "Filhos, em tudo obedecei a vossos pais, pois fazê-lo é grato diante do Senhor" (Colossenses 3:20). Os filhos deverão obedecer a seus pais quer entendam ou não a razão da ordem dos pais, quer concordem e gostem ou não da ordem dos pais. A verdadeira prova de obediência é quando nos é mandado  fazer alguma coisa contra nossas inclinações ou vontade.
Observamos que Paulo escreveu aos efésios que os filhos deveriam obedecer a seus pais "no Senhor." A frase "no Senhor" deveria estar ligada com "obedecer" antes que com a palavra "pais." Paulo não estava sugerindo que os filhos deveriam obedecer a seus progenitores somente se seus pais e mães fossem cristãos (no Senhor"), mas, que os filhos devem obedecer a seus pais enquanto tal obediência não conflite com seus deveres para com Cristo. Pedro exprimiu o mesmo princípio quando reprovado pelo Sinédrio judeu por pregar Jesus Cristo; "antes, importa obedecer a Deus do que aos homens" (Atos 5:29). "No Senhor" constitui a única limitação imposta à obediência de um filho.
Paulo escreveu que os filhos obedecerem "é justo" (Efésios 6:1). Aos colossenses ele escreveu que obedecer assim "é grato diante do Senhor" (3:20). Muitas pessoas, incluindo alguns pais, acreditam que a desobediência é uma coisa natural com os filhos e precisa ser tolerada pelos pais. Contudo, a Bíblia revela que Deus considera ser a desobediência pelos filhos uma coisa séria. O escritor de Provérbios oferece a seguinte dura advertência a quem desobedecer qualquer dos pais: "os olhos de quem zomba do pai ou de quem despreza a obediência à sua mãe, corvos no ribeiro os arrancarão e pelos pintãos da águia serão comidos" (Provérbios 30:17). O ponto do autor é claro: aqueles que desobedecem a seus pais sofrerão! Ainda que ninguém vivendo hoje em dia seja responsável por guardar a Lei de Moisés, suas instruções a respeito da desobediência e desrespeito filiais demonstram bem vivamente a atitude do Senhor. A penalidade aplicada a um filho desobediente e rebelde era a morte (Deuteronômio 21:18-21)! O filho que amaldiçoasse ou batesse em seu pai ou em sua mãe era morto por apedrejamento (Êxodo 21:15, 17; Levítico 20:9). Quando Paulo relacionou os vários pecados comum entre os gentios, ele incluiu "desobediente aos pais" (Romanos 1:30; veja também 2 Timóteo 3:2).
Filhos, honrai vossos pais!
Muitos países têm certas medalhas de honra para conferir àqueles cidadãos ou soldados que tenham desempenhado algum serviço meritório em favor de seu país. Os pais são pessoas que oferecem serviço especial dia após dia, tomando decisões e fazendo sacrifícios no melhor interesse de seus filhos. Muitos pais prefeririam a honra e o respeito de seus filhos a qualquer medalha de honra. As Escrituras, de fato, ordenam aos filhos que honrem seus pais. O apóstolo Paulo escreveu: "Honra o teu pai e a tua mãe (que é o primeiro mandamento com promessa), para que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra" (Efésios 6:2-3).
Qual é a diferença entre obedecer e honrar nossos pais? O que está envolvido com honrar pai e mãe? Honrar, como a palavra grega sugere, significa valorizar ou considerar altamente, ter em grande estima. Um filho pode submeter-se à vontade de seus pais sem tê-los em alta consideração. Seu motivo para submissão pode ser egoísta por natureza. As Escrituras revelam-nos que a obediência do filho deverá originar-se da alta estima que ele tem por seus pais. Pais nem sempre agem de tal modo que encorajem o respeito de seus filhos, mas os filhos deverão estimar seus pais altamente... Por causa dos mandamentos de Deus a este respeito.
Certamente honrar pai e mãe incluirá obediência, mas esta responsabilidade acarreta muito mais. Os filhos deverão dirigir-se a seus pais com respeito, sem grosseria, sarcasmo ou ridículo. Os filhos demonstram respeito por seus pais ouvindo o que eles têm a dizer. O escritor de Provérbios aconselhou: "Ouve a teu pai, que te gerou, e não desprezes a tua mãe quando vier a envelhecer" (23:22). Os filhos honram os seus pais ajudando-os naquelas tarefas do lar que têm que ser feitas diariamente.
Jesus ensinou que honrar os pais envolvia apoio financeiro em casos de necessidade. Os fariseus criticaram os discípulos de Jesus porque eles não lavavam as suas mãos antes de comer, como exigia a tradição dos antigos. Jesus respondeu observando que os fariseus, eles próprios, invalidavam os mandamentos de Deus de modo a manter suas próprias tradições (Marcos 7:1-8). Com exemplo de sua prática, Jesus citou da Lei de Moisés o mandamento para honrar pai e mãe. Ele observou que os fariseus tinham concebido a tradição pela qual invalidavam este mandamento. Os fariseus ensinavam que um homem poderia declarar como "Corbã" parte dos seus bens com os quais deveriam ajudar seus pais. "Corbã" significava que aqueles bens estavam dedicados ao Senhor e, assim, "santificados," não podiam ser usados para sustentar seus pais. A pior parte desta tradição era que o homem que assim declarasse seus bens como "Corbã" poderia ficar com estes bens e usá-los para si! É fácil de ver que o ponto desta tradição era simplesmente evitar a responsabilidade de uma pessoa para com pai e mãe. A reprovação de Jesus ilustra claramente que a responsabilidade por honrar pai e mãe também incluía assistência financeira quando necessitada.
Escrevendo a Timóteo, Paulo também ressaltou a responsabilidade dos filhos em cuidar de seus pais idosos. Falando de a igreja ajudar as viúvas, ele instruiu: "Honra as viúvas verdadeiramente viúvas. Mas se alguma viúva tem filhos ou netos, que estes aprendam primeiro a exercer piedade para com a própria casa e a recompensar os seus progenitores, pois isto é aceitável diante de Deus... ora, se alguém não tem cuidado dos seus e especialmente dos da própria casa, tem negado a fé e é pior do que o descrente" (1 Timóteo 5:3-4, 8). Nesta passagem, Paulo usou a palavra "honrar" no sentido de auxílio financeiro (veja o versículo 16). Ao mesmo tempo, ele asseverou claramente o dever dos filhos de ajudar ("honrar") seus pais. Tal auxílio é também uma forma de compensação pelo que os pais fizeram por seus filhos. A importância desta responsabilidade é vista na afirmação de Paulo que o crente que não cuida dos membros de sua própria família negou a fé. É evidente que a responsabilidade de um jovem para com pai e mãe não termina quando ele sai de casa. Em conclusão, é impossível servir a Deus aceitavelmente enquanto se negligencia os próprios pais! Não se pode honrar a Deus enquanto se recusa a obedecer A Seus mandamentos, incluindo o dever de honrar seus pais.
O Plano de Deus é Melhor
Jesus, nosso grande exemplo, foi submisso os seus pais. Ainda que Ele fosse a Divindade em carne, ele seguia o plano de Deus para a família (Lucas 2:51). Deus estabeleceu seu plano para nossas famílias porque ele deseja nossa felicidade e sabe que tipo de relações são mais satisfatório e mais recompensador para nós. Quando a vontade de Deus é negligenciada, resultam a aflição e a miséria. É verdade geral que os filhos que obedecem e honram seus pais vivem mais, têm vidas mais felizes e mais importantes, estão agradando a Deus!






VERSICULOS DE OBEDIENCIAS AOS PAIS:
Obediencia aos pais na Bíblia
"Honra teu pai e tua mãe, a fim de que tenhas vida longa na terra que o Senhor, o teu Deus, te dá.
Êxodo 20:12
"Quem agredir o próprio pai ou a pró­pria mãe terá que ser executado.
Êxodo 21:15
"Se um homem tiver um filho obstinado e rebelde que não obedece ao seu pai nem à sua mãe e não os escuta quando o disciplinam, o pai e a mãe o levarão aos líderes da sua comunidade, à porta da cidade, e dirão aos líderes: 'Este nosso filho é obstinado e rebelde. Não nos obedece! É devasso e vive bêbado'. En­tão todos os homens da cidade o apedrejarão até a morte. Eliminem o mal do meio de vocês. Todo o Israel saberá disso e temerá.
Deuteronômio 21:18-21
Ouça meu filho, a instrução de seu pai
e não despreze o ensino de sua mãe.
Provérbios 1:8
O filho sábio
acolhe a instrução do pai,
mas o zombador não ouve a repreensão. Do fruto de sua boca
o homem desfruta coisas boas,
mas o que os infiéis desejam é violência. Quem guarda a sua boca
guarda a sua vida,
mas quem fala demais acaba se arruinando. O preguiçoso deseja e nada consegue,
mas os desejos do diligente
são amplamente satisfeitos. Os justos odeiam o que é falso,
mas os ímpios
trazem vergonha e desgraça. A retidão protege o homem íntegro,
mas a impiedade derruba o pecador. Alguns fingem que são ricos e nada têm;
outros fingem que são pobres
e têm grande riqueza. As riquezas de um homem
servem de resgate para a sua vida,
mas o pobre nunca recebe ameaças. A luz dos justos
resplandece esplendidamente,
mas a lâmpada dos ímpios apaga-se. O orgulho só gera discussões,
mas a sabedoria está
com os que tomam conselho. O dinheiro ganho com desonestidade
diminuirá,
mas quem o ajunta aos poucos
terá cada vez mais. A esperança que se retarda
deixa o coração doente,
mas o anseio satisfeito é árvore de vida. Quem zomba da instrução pagará por ela,
mas aquele que respeita o mandamento
será recompensado. O ensino dos sábios é fonte de vida
e afasta o homem
das armadilhas da morte.
Provérbios 13:1-14
Pois Deus disse: 'Honra teu pai e tua mãe' e 'Quem amaldiçoar seu pai ou sua mãe terá que ser executado'.
Mateus 15:4
Filhos obedeçam a seus pais no Senhor, pois isso é justo. "Honra teu pai e tua mãe" - este é o primeiro mandamento com promessa - "para que tudo te corra bem e tenhas longa vida sobre a terra". Pais, não irritem seus filhos; antes os criem segundo a instrução e o conselho do Senhor.
Efésios 6:1-4



0 comentários:

Postar um comentário

Seguidores

DEVOCIONAL DIARIO:

Hora:

Loading...